Este pretende ser um "espaço" público de partilha de ideias, um espaço de comunicação...

30
Jun 15

               

      "Desprezo o que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito a dizê-lo”.

       É com esta afirmação atribuída a Voltaire, filósofo do iluminismo francês, que Nigel Warburton principia o seu ensaio sobre Liberdade de Expressão. A liberdade de expressão – entendida num sentido amplo, onde se inclui a palavra escrita, as peças teatrais, os filmes, vídeos, as fotografias, os cartunes, as pinturas, entre outros – é um direito consagrado no artigo 19.º da Declaração Universal dos Direitos do Homem (1948).       

      A liberdade de expressão é particularmente valiosa numa sociedade democrática, ao ponto de haver, mesmo, quem sustente que na ausência de uma ampla liberdade de expressão nenhum governo seria de todo legítimo e não deveria ser denominado democrático. Esta é a perspetiva defendida por Ronald Dworkin, para quem “A livre expressão é uma das condições de um governo legítimo. As leis e políticas não são legítimas a menos que tenham sido adotadas por meio de um processo democrático, e um processo não é democrático se o governo impediu alguém de exprimir as suas convicções acerca de quais devem ser essas leis e políticas.”

       Desde os alvores da democracia ateniense que são sobejamente conhecidas as suas relações com a argumentação e a retórica.

       Porém, tal como a retórica e a argumentação podem ser postas ao serviço da mentira e da manipulação, também em relação à liberdade de expressão se coloca a questão dos seus limites. Não deve a liberdade de expressão ser restringida em circunstância alguma ou há limites para a livre expressão? Se há limites à livre expressão não corremos o risco da derrapagem que irá desembocar no totalitarismo?

       Estas e outras questões são tratadas no ensaio de Nigel Warburton, recentemente publicado pela Gradiva.

publicado por Carlos João da Cunha Silva às 00:24

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Filosofia
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO