Este pretende ser um "espaço" público de partilha de ideias, um espaço de comunicação...

28
Out 13

 

Lamego, vista parcial da cidade

 

"Cidade, política, cidadão e civilização" constituem conceitos que se interligam.

Ser cidadão é ser membro de uma comunidade política, que se define pelo livre exercício dos seus direitos cívicos e políticos e pela sua participação nas decisões do Estado.

É ter direitos e deveres.

A noção de cidadão só faz sentido numa sociedade regida por leis, pois é a lei que determina os direitos e os deveres dos cidadãos – embora num “estado de natureza”, anterior à sociedade política que institui o “direito positivo”, se possa falar em “direitos naturais”.

Como a natureza recusou ao homem a capacidade de se bastar a si mesmo, a sua realização plena só é viável na cidade, enquanto cidadão.

A cidadania está ligada à nacionalidade mas uma cidadania plenamente realizada deveria basear-se numa política cosmopolita. Mais do que cidadãos de uma nação ou de uma cidade, somos “cidadãos do mundo”.

Apesar das fronteiras físicas e culturais que delimitam e circunscrevem as nações e os povos, parece haver valores, direitos e deveres universais que ultrapassam as simples fronteiras das cidades e das nações.

A civilização, neste sentido, pode ser entendida como um estado de progresso dos costumes, dos conhecimentos e dos valores, tese contestada por Rousseau - para quem a civilização, no sentido de afastamento do estado natural, não deve ser entendida como progresso.

publicado por Carlos João da Cunha Silva às 00:01

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Filosofia
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO