Este pretende ser um "espaço" público de partilha de ideias, um espaço de comunicação...

09
Mar 09

A humanidade é plural no sentido em que é sexuada. Mas tal pluralidade, longe de instituir a discórdia, pode converter-se em princípio de harmonia.

Parafraseando Heraclito, pai da filosofia do devir, “a estrada que sobe e desce é uma e a mesma” ou “os contrários concordam e a bela harmonia nasce do que difere. Tudo nasce da luta”. Na circunferência, por exemplo, “o princípio e o fim coincidem”; ou ainda, a beleza de uma pintura reside no contraste das cores, etc.
Complementaridade parece ser o conceito que melhor expressa a pluralidade da humanidade. É nesse sentido que Aristófanes, o comediante grego, refere um mito em O Banquete de Platão para explicar a natureza humana:
“Na sua origem, a humanidade compreendia três sexos: os homens, as mulheres e uns seres estranhos chamados andróginos, que eram, simultaneamente, machos e fêmeas. Todos esses indivíduos eram duplos, em relação ao que hoje somos: tinham quatro pernas, quatro braços, quatro olhos e cada um tinha dois órgãos genitais, ambos masculinos nos homens, ambos femininos, nas mulheres e um masculino e um feminino, nos andróginos.
Eram dotados de um orgulho desmedido, a ponto de desafiarem os deuses. Zeus estava indignado com a insolência dos humanos. Um dia decide castigá-los, dividindo-os em dois: cada um passaria a ter apenas duas pernas e um órgão genital. Com isto, os humanos sentiram-se infelizes porque lhes faltava a outra metade. Então, os semi-homens procuravam os semi-homens, as semi-mulheres desejavam as semi-mulheres e a metade masculina dos andróginos procurava desesperadamente a metade feminina.”
Em suma, para reencontrarem a felicidade perdida, cada um deles desejava intensamente reunir-se à sua alma gémea. E este desejo tem um nome: é o amor.
publicado por Carlos João da Cunha Silva às 20:10

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
14

16
17
19
21

22
23
25
26
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Filosofia
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO