Este pretende ser um "espaço" público de partilha de ideias, um espaço de comunicação...

18
Fev 09

Uma das questões clássicas relacionadas com as ideias, prende-se com o problema da sua origem, isto é, com o problema de saber de onde nos surgem, qual a sua fonte. Ao formularmos tal questão, deslocamo-nos do domínio lógico para o gnosiológico. Com efeito, o nosso conhecimento é constituído por ideias, juízos e raciocínios, mas como os juízos e os raciocínios são obtidos a partir das ideias, o problema da origem do conhecimento consiste em determinar como se adquirem as ideias. Este problema consiste em saber de que modo o "sujeito cognoscente" atinge o "objecto".

Ao afirmarmos, por exemplo, que "O triângulo é um polígono de três ângulos" ou  que "Esta água ferve, aqui e agora, a 100º", tais frases exprimem conhecimentos, embora de natureza diversa. No primeiro caso, estamos perante um conhecimento necessário do ponto de vista lógico e universalmente válido; no segundo, ao invés, trata-se de um conhecimento contingente e particular.

Há, portanto, duas espécies de saber.

Mas, qual a sua origem? A razão/pensamento, os sentidos/experiência ou ambos? É a esta pergunta que racionalismo e empirismo tentam responder.

publicado por Carlos João da Cunha Silva às 23:37

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13


22
23
27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Filosofia
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO