Este pretende ser um "espaço" público de partilha de ideias, um espaço de comunicação...

07
Jul 14

 

Ilha de Moçambique: Amanhecer 

            No universo da telepolis as novas Tecnologias da Informação e da Comunicação jogam um papel determinante nas relações humanas, configurando as relações de comunicação do homem com os outros e com o mundo, nomeadamente, através da internet.

            Hoje, “é através da comunicação eletrónica que o pensamento mais circula independentemente ou mesmo à revelia do sujeito corpóreo da mensagem em circulação” (João Maria ANDRÉ, Op.Cit.). Por isso, com a informática consuma-se a plena realização do dualismo cartesiano.

            Com a realização do dualismo cartesiano acentua-se a leveza do ser e do pensamento, fruto da sua desvinculação da matéria, do corpo e da vida de onde brota.

            Contudo, não há verdadeiramente pensamento sem corpo porque com o esquecimento do corpo esquece-se, também, tudo aquilo que o corpo pode transportar, nomeadamente a dor, o sofrimento e a morte.

            Para além da leveza, a velocidade e a rapidez aparecem como marcas da telepolis em que vivemos. O tempo da telepolis, cronometrado ao segundo, é o tempo da velocidade da luz, é o tempo em que o tempo é dinheiro. Por isso, a par do peso, é necessária, segundo ANDRÉ (Op. Cit.) a “reaprendizagem da lentidão”.

            É tempo de reaprender o tempo, de reaprender a lentidão dos dias medidos do nascer ao pôr-do-sol e das estações medidas pelas sementeiras e pelo desabrochar das plantas porque, com a reaprendizagem da lentidão do tempo, reaprenderemos os gestos dos afetos, do amor e da paixão. 

publicado por Carlos João da Cunha Silva às 15:27

Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Filosofia
Local
mais sobre mim
pesquisar
 
Neste Momento
online
blogs SAPO