Este pretende ser um "espaço" público de partilha de ideias, um espaço de comunicação...

06
Jun 09

Duas coisas povoam a mente com uma admiração e respeito sempre novos e crescentes...o céu estrelado acima de mim e a lei moral dentro de mim (Kant)

 

O Panteísmo (Pan=o todo; Theos=Deus), enquanto concepção sobre a natureza de Deus e sistema filosófico, está intimamente relacionado com a questão da origem do Universo.

Superada a dúvida radical e admitida a existência do mundo, vemo-nos confrontados com a questão da sua origem.

Excluída a hipótese, alheia aos pensadores gregos, da "criação a partir do nada", resta a alternativa segundo a qual o mundo será Eterno, isto é, liberto do devir e do tempo sendo, por isso, intemporal.

Ora, se o mundo é eterno, qual a sua natureza? Material ou Espiritual?

Os defensores da primeira tese são os denominados materialistas, para quem o mundo é matéria que sempre existiu e nenhum ser criou, matéria que se transforma em obediência a leis da sua própria estrutura. A concepção materialista do mundo prescinde, assim, de qualquer entidade transcendente, sendo o ateísmo o seu corolário.

Para os defensores da tese segundo a qual o mundo é de natureza espiritual, no fundo, o mundo é emanação de Deus, é o próprio Deus manifestando-se. Eis o cerne do  Panteísmo.  

publicado por Carlos João da Cunha Silva às 12:26

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
16
18
20

21
23
24
26
27

28
30


Filosofia
Local
mais sobre mim
pesquisar
 
Neste Momento
online
blogs SAPO