Este pretende ser um "espaço" público de partilha de ideias, um espaço de comunicação...

02
Mar 09

Aborreço-me, é tudo. De vez em quando bocejo com tanta força que as lágrimas me correm pelas faces. Não ando desmazelado, pelo contrário: tomei banho esta manhã, barbeei-me. Mas quando considero todos esses pequenos actos de zelo não percebo como pude realizá-los: são tão vãos! Foram os hábitos, sem dúvida, que os realizaram por mim. Os hábitos, esses não morreram; continuam a apressar-se, a tecer devagarinho, insidiosamente, as suas tramas, a lavarem-me, a limparem-me, a vestirem-me, como amas. Terão sido eles que me conduziram ao alto deste outeiro?

 Sartre, J.-P., A Náusea

publicado por Carlos João da Cunha Silva às 23:11

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
14

16
17
19
21

22
23
25
26
28

29
30
31


Filosofia
Local
mais sobre mim
pesquisar
 
Neste Momento
online
blogs SAPO